Humanização na prática

As pessoas se conectam com histórias, portanto a empatia é uma forma de criar relações poderosas e profundas. No entanto, requer um esforço de enxergar o outro de forma sistêmica, ou seja, fazendo valer das necessidades físicas, emocionais, sociais e psicológicas e consequentemente, contribuir com o redescobrir do outro, gerando segurança e respeito, além de elevar o nível de qualidade das “parceiras”, termo muito utilizado no mundo dos negócios. A base de uma parceria sustentável e de qualidade, é a cooperação, a quantidade é menos importante nesse contexto, além do que, uma relação tóxica pode contribuir para o desenvolvimento de doenças e um estado de infelicidade.

Muitas das vezes, as pessoas sentem acolhidas e respeitadas quando encontram em outras a “atenção”, o que gera uma conexão que tende estimular o estado de felicidade no que faz e a se comprometerem de forma mais eficaz com seus propósitos. E quem ganha nesse jogo é você, que se dispõe a doar de si, porque afeta o seu bem-estar, uma vez que transforma o egoísmo e o auto centramento

Quando se cria conexões verdadeiras, desenvolve o interesse genuíno pelo outro e há uma tendência ao desprendimento das preocupações próprias e o indivíduo se dá conta do universo que existe além do seu. Esse sentimento alivia a mente e contribui com a formação e a transformação de parcerias, em que as partes se beneficiam um do outro sem que esse seja o objetivo de fato. Aprender a lidar com as próprias emoções pode ser desafiador, não é mesmo?

Por esse motivo, a inteligência emocional é fundamental para que você desenvolva a capacidade de administrá-la de forma saudável para utilizar em seu benefício e conseguir agir de maneira consciente, de maneira que possa influenciar na criação de conexões verdadeiras, que transforma e emociona. Portanto, valorizar o capital humano e ampliar as oportunidades de expansão de autonomia de capacidade de transformação da realidade em que vivem, de compartilhar as responsabilidades, de criar vínculos e participação coletiva a partir de uma modelagem cultural onde a atenção é um dos principais protagonistas desta história é fundamental para a humanização, pois influenciará as atitudes humanas posteriores frente às interações, adaptações e decisões a serem tomadas.

A humanização é uma estratégia que melhora a experiência entre as relações e resgata a essência dos indivíduos que interferem na efetividade das relações em que as partes estejam envolvidas, seja na área da saúde, empresarial, familiar, social, enfim, alcança todos os cenários de relacionamentos. Portanto, desenvolver o lado humano vem para confrontar o desgaste das relações, devido à mecanização e à construção de barreiras que evitam aproximações efetivas. 

Face ao exposto, a humanização pode ser compreendida como um conjunto de atividades que objetivam compreender as vertentes que influenciam o sucesso das relações. Significa compreender as necessidades existentes do outro e se colocar no lugar dele. Razão pela qual não considerada tão somente o problema a ser resolvido e seus impactos, mas também como esse cenário impacta o indivíduo, levando-se em consideração as questões psicológicas e ambientais envolvidas. Assim, estimula o indivíduo a participação ativa nas decisões do processo, além de ampliar as oportunidades para que ele exerça a sua autonomia diante da situação. Esse processo garante a perspectiva positiva em relação às partes e cria uma relação de confiança e gera relacionamentos saudáveis e duradouros.

Por: Ivone Vieira 

Gostou? Comenta aqui o que Achou!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter