O Facebook mudou de nome e agora se chama “Meta”

O Facebook está passando por aquilo que profissionais de marketing chamam de rebranding: a formação de uma nova identidade. A empresa, dona de plataformas como Instagram, WhatsApp e o próprio Facebook passou a se chamar Meta – uma referência ao “metaverso”, uma espécie de versão 3D da internet que está na mira de vários desenvolvedores.

A novidade foi anunciada por Mark Zuckerberg durante o evento Facebook Connect, que discute realidade aumentada e virtual dentro da empresa.

“Escolhemos ‘Meta’ porque pode significar ‘além’ e capta nosso compromisso com a construção de tecnologias sociais que nos levam além do que a conexão digital torna possível hoje”, compartilhou Zuckerberg.

Além da mudança de nome, Zuckerberg apresentou uma série de conceitos do metaverso, incluindo recursos sociais, de jogos e para ambiente de trabalho.

“Criar produtos de redes sociais sempre será importante para a gente, mas acreditamos que o nome Facebook está altamente ligado a isso. O nome não engloba mais tudo o que queremos fazer. É hora de adotarmos uma nova marca para a nossa companhia”, disse o fundador da empresa.

Ele acredita que o futuro das conexões virtuais está no metaverso, e não apenas nos formatos que as redes sociais atuais podem oferecer.

O CEO acrescentou ainda que, a partir de agora, todos os produtos da empresa, incluindo os aplicativos, trabalharão para dar vida ao metaverso. A mudança, no entanto, não afeta a forma como as companhias compartilham dados entre si.

O que é o metaverso?

Considerado por alguns como uma versão futura da internet, o metaverso se baseia na criação de espaços virtuais 3D compartilhados. A ideia é que, nesse cenário, usuários de plataformas online possam acessar uma espécie de realidade paralela, com imersão promovida por técnicas de realidade aumentada e virtual, por exemplo – como o dispositivo Oculus Quest, produto da recém-batizada Meta.

“No metaverso, você será capaz de fazer quase tudo que você possa imaginar – reunir-se com amigos e família, trabalhar, aprender, brincar, fazer compras, criar – bem como experiências completamente novas que realmente não se encaixam na forma como pensamos sobre computadores ou telefones hoje”, disse Zuckerberg.

Metaverso é ‘novo capítulo’ na história do Facebook, diz Zuckerberg

A ideia de experiência de imersão não é algo novo – e dá para comparar com o mundo de videogames como The Sims ou Second Life. O ponto central é o nível de imersão do usuário e o grau de realismo do metaverso, que demandam avanços tecnológicos. E o acesso a recursos desse porte vai depender, claro, do barateamento dos aparelhos de realidade virtual.

Segundo Zuckerberg, o metaverso vai incluir algumas representações para introduzir a interação na plataforma. Uma delas é o avatar, que poderá ser personalizado para as diferentes atividades que os usuários fizer, como trabalho e lazer. Além disso, salas de encontro também poderão ser criadas na plataforma, para receber amigos, por exemplo — é como um The Sims em tamanho real.

O metaverso ainda trabalha com a possibilidade de representação em holograma, com alguns objetos de auxílio, como uma nova versão de óculos de realidade virtual, o Cambria, que deve ser lançado no ano que vem. Dentro desses universos, a Meta anunciou três principais plataformas de interação: Horizon Home, Horizon Words e Horizon Workrooms.

O Messenger, por exemplo, permitirá fazer chamadas em realidade virtual. Também há planos para uma loja virtual na qual as pessas poderão vender bens virtuais, além de uma tela inicial no Oculus Quest para permitir que as pesoas conversem e joguem em realiade virtual.

Veja alguns trechos da CARTA publicada por Zuckerberg

Estamos no começo do próximo capítulo da internet, e o próximo capítulo da nossa empresa também…

Somos uma empresa que foca em conectar pessoas. Embora a maioria das empresas foquem em como as pessoas interagem com tecnologia, nós sempre focamos em construir tecnologias para que as pessoas possam interagir umas com as outras…

Hoje somos vistos como uma empresa de redes sociais. O Facebook é um dos produtos tecnológicos mais usados da história do mundo. É uma marca icônica de rede social…

Estou dedicando nossa energia a isso – mais do que qualquer empresa no mundo. Se esse é o futuro que você quer ver, espero que se una a nós. O futuro que irá além de qualquer coisa que podemos imaginar…

Por: Ricardo MdeMelo

Especialista em Marketing Digital

MdeMelo Marketing Digital

@mdemelo.marketingdigital

Gostou? Comenta aqui o que Achou!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter