Canal de Suez e o Impacto no Frete Internacional

O canal de Suez consiste em ser uma ligação artificial construída entre os mares Vermelho e Mediterrâneo. Situa-se no Egito, mais precisamente na península de Sinai. Levou cerca de 10 anos para ser construído e foi finalizado em 1869. Seu objetivo é de facilitar o transporte por via marítima entre os continentes Europeu e Asiático.

Ele é responsável pelo transporte de 14% de mercadorias no mercado global e é considerado o principal canal que transporta grande volume de mercadorias entre Ásia, Europa e Costa Leste dos EUA. 

Nele, é possível movimentar cerca de 400 navios diariamente, sendo responsável por mais de 1 milhão de toneladas de produtos transportados. Produtos essenciais como café, commodities, bens industrializados são importantes exemplos que enfatizam tal importância desta rota comercial para o comércio global. 

Diante do contexto, qual têm sido a relação do aumento do frete marítimo internacional em relação ao Canal de Suez ?

A região do Mar Vermelho onde parte do canal de Suez está situado, têm sido alvo de ataques de rebeldes, dos quais têm invadido navios que fazem tal percurso e dos quais têm sofrido ataques diversos como uma maneira de punir o mercado sentido ocidente, principalmente Estados Unidos e Israel, o que têm ocasionado a paralisação de embarcações, atrasos de percursos, ocasionando alto impacto financeiro e econômico aos países de destino dessas cargas.

O grupo de rebeldes citado acima chamado Houtis está situado no Iêmen e têm iniciado uma guerra civil no país de origem, sendo apoiado pelo Irã como maneira de retaliação ao comércio global nessa região. Com tal ação, países como China entre outros, necessitam buscar alternativas de rota e passaram a elevar seus fretes e serviços de transporte cerca de 4 a 5 vezes mais além de acréscimo de taxa de emergência, tendo gerado aumento no tempo de trânsito de 20 a 30 dias nas rotas vindas da Ásia e Europa. 

Entretanto, países como EUA e Reino Unido com o apoio de outras nações têm buscado maneiras de tentar combater os ataques desses grupos e atuarem na redução de artefatos bélicos dos rebeldes, porém o cenário sobre o futuro do comércio global nessa região ainda é incerto e sugere especulações de diversas proporções por especialistas em geopolítica. 

Evelyn – Colunista Society

Gostou? Comenta aqui o que Achou!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter